quinta-feira, 25 de maio de 2017

Abertas inscrições para 2ª Etapa do Circuito de Danças Tradicionais da 24ª RT

Boa tarde, amigos!!!

Estão abertas as inscrições para a 2ª etapa do Circuito de Danças Tradicionais da 24ª RT, que acontece no dia 11 de junho, no Parque do Imigrante - Lajeado, a partir das 8h.

Junto ao evento, organizado pelo CTG Tropilha Farrapa, acontece também o 1ª Rodeio Estadual de Danças de Salão da entidade. 

Os dois eventos permitem inscrições de qualquer entidade do Estado.

Maiores informações no folder oficial, ou com os seguintes contatos:

- Jair Rogério Bomm (Patrão): (51) 99809 2398
- Marcelo C. Perez (Coordenador Artístico): (51) 99993 0334
- Ana C. Finke: (51) 99513 7418



Tchê aprochega!!! Não vai perder este baita evento, né?
A 24ª RT e o CTG Tropilha Farrapa te esperam!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

24ª RT divulga inscritos pra Ciranda e Entrevero Regionais

A 24ª RT divulgou no dia de hoje, os inscritos para a Ciranda Cultural de Prendas e para o Entrevero de Peões Regional que acontece nos dias 23 e 24 de junho, na cidade de Lajeado.

Gestão de Prendas e Peões da 24ª RT, gestão 2016/2017,
com coordenadoria da 24ª RT e padrinhos do evento

A anfitriã do evento, Caroline Reolon Scariot - 1ª Prenda da 24ª RT, receberá em sua entidade mãe, o CTG Tropilha Farrapa, os seguintes concorrentes, que farão parte da gestão de prendas e peões regional gestão 2017/2018:

Prenda Pré-Mirim
Betina Ruppenthal - CTG Erva Mate
Vitória Coferre - GAN Anita Garibaldi

Piazito Farroupilha
Jonathan Arthur Schonardt - CTG Erva Mate
Matheus Leoblein - CTG Chaleira Preta

Prenda Mirim
Amália Rempel Fontana - CTG Querência do Arroio do Meio
Eduarda Vitória Pessi - CTG Erva Mate
Eloisa Bergamaschi - CTG Chaleira Preta
Júlia Gabriela Lazzari - CTG Tropilha Farrapa

Piá Farroupilha
Arthur Corrêa Teixeira - CTG Erva Mate
Arthur Ferreira - CPF Terra de Um Povo
Vinícius Strassburger - CTG Querência do Arroio do Meio

Prenda Juvenil
Angela Daddalt - GAN Anita Garibaldi
Emília Bersch Schmidt - CTG Querência do Arroio do Meio
Isadora Moraes - CTG Chaleira Preta
Maiara Letícia da Rosa - CTG Erva Mate
Suellen Schonardt - DTG Piazito da Tradição
Verônica Coimbra Machado - CTG Pagos de São Rafael

Guri Farroupilha
Christian Leoblein - CTG Chaleira Preta
Gabriel Kauffman - DTG Piazito da Tradição
Lucas Schneiders - GAN Anita Garibaldi
Luis Henrique Nascimento - CTG Querência do Arroio do Meio

Prenda Adulta
Eduarda Kauffman - DTG Piazito da Tradição
Jéssica Thais Herrera - CTG Tropilha Farrapa
Luana Mayara Ertel - CTG Querência do Arroio do Meio
Michele Lehmenn - CTG Chaleira Preta

Peão Farroupilha
Douglas Kist - CTG Chaleira Preta
Mateus M. Borges - CTG Tropilha Farrapa

Prenda Veterana
Luciana Cechim - GAN Anita Garibaldi

Muito sucesso a todos!!!

​Divulgada lista de avaliadores artísticos habilitados pelo MTG

Foto: Deivis Bueno


O Movimento Tradicionalista Gaúcho divulgou, nesta semana, a lista de avaliadores habilitados para atuar em eventos artísticos. O comunicado partiu da vice-presidência artística, coordenada por José Roberto Fishborn.

No total, são 26 avaliadores, indicados pelas coordenadorias regionais, que recentemente passaram por uma bateria de cursos e avaliações, qualificando-se para exercer a função, nos quesitos interpretação, harmonia e correção.

A lista dos avaliadores, com seus respectivos dados de contato, eu publico aqui pra vocês:


Fonte: MTG

CTG Erva Mate realiza Chá das Mães neste domingo

Bom dia, bom dia!!!

O CTG Erva Mate, de Venâncio Aires - 24ª RT, realiza neste domingo, dia 28, um Chá das Mães organizado pela Invernada Pré-Mirim da entidade.

Será uma tarde especial em homenagem a todas as mamães, com desfiles, brindes, maquiagens, doces e salgados caseiros preparados com muito carinho e amor!

Os cartões podem ser adquiridos ao valor de R$ 8,00, com o pessoal da entidade.

Prestigie!!!

terça-feira, 23 de maio de 2017

Prendas da 24ª RT participam da Ciranda Estadual neste fim de semana

E as emoções não param por aqui!
Com o coração apertadinho de ansiedade e repleto de muito orgulho, trago hoje pro blog um post muito, muito especial.

Daqui dois dias estaremos rumo a Bagé para mais uma 47ª Ciranda Cultural de Prendas.
Há alguns dias este é o assunto principal aqui no blog, e ontem, inclusive, fiz um texto desejando muito sucesso a todas participantes! E a torcida é completamente verdadeira e sincera, podem ter certeza.

Porém também é necessário exaltar aqui a felicidade que sinto em ter em nossa região, mais uma vez, três prendas concorrendo em uma Ciranda Estadual. E como se não fosse alegria o suficiente, duas delas são integrantes da minha entidade, o CTG Tropilha Farrapa. Eu, enquanto Coordenadora Cultural da entidade no ano de 2016, tive o privilégio de acompanhá-las na Ciranda Regional, e pra minha alegria, levamos três primeiros lugares pra casa, (e um quarto que nos encheu de orgulho), feito este, nunca visto em nossa entidade.


Com esta publicação, quero enaltecer a minha torcida por estas meninas muito dedicadas que estão dando novo sentido à minha vida enquanto tradicionalista, mesmo depois de tantos anos no Movimento.

Como é gostoso acompanhar, sonhar e continuar acreditando. Como é gratificante saber que um pouquinho do nosso conhecimento pode estar fazendo a diferença na preparação de alguém.

Gratidão é o que sinto pela confiança. Obrigada a vocês, meninas, aos pais, demais familiares e coordenadores.
Tenho certeza que vai ser lindo, e digno de uma história muito bem construída em cada detalhe!

Camila Reolon Scariot - 1ª Prenda Mirim
CTG Tropilha Farrapa - Lajeado

Bruna Thaís Heinen - 3ª Prenda Juvenil
CTG Querência da Mata - Mato Leitão

Caroline Reolon Scariot - 1ª Prenda Adulta
CTG Tropilha Farrapa - Lajeado

Mais uma vez, deixo meus desejos de uma Ciranda inesquecível a vocês.
Que seja tão especial quanto foi pra mim, e que seja vivida intensamente em cada detalhe!
O futuro a Deus pertence... cabe a nós temos fé e fazer por merecer. Acredito muito em vocês!!!

Um beijo grande com um abraço bem apertado...
e até daqui dois dias. Nos vemos em Bagé ♥

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Mais uma doce Ciranda está chegando...

Maio chegou de mansito... trazendo consigo dias de sol, brisa mansa e um acalanto no coração.
Chegou lembrando que é mês das mães, das noivas e das prendas, talvez retratando muito bem as datas mais importantes na vida de uma mulher. Uma vida repleta de sonhos, de desejos, de busca pela realização, e felicidade plena.

Durante o final de semana que se aprochega, nove prendas se despedem dos seus encargos... tornando-se eternas Prendas do Rio Grande, e sendo lembradas por seus feitos e dedicação com o nosso Estado. Tomarão novos rumos, e caminharão rumo a novas conquistas. A elas, toda a minha admiração e respeito. Parabéns por toda garra e força, e obrigada por nos representarem de maneira tão grandiosa e significativa.


Em três dias estaremos todos rumo à Rainha da Fronteira, berço da 1ª Prenda Adulta do Rio Grande do Sul, Roberta. Bagé nos espera de coração e braços abertos, para lá vivenciarmos dias de muita cultura e emoção, com os sentimentos a flor da pele, e um carinho enorme por cada uma das prendas que lá estarão em busca do mais especial sonho.

A estas 70 meninas, toda a minha torcida e o meu carinho.
Nossos corações se unem em prol do Movimento, queremos todos o crescimento da nossa cultura, e este sonho que hoje é delas, também já foi meu.

Sei bem como é essa tal ansiedade, as noites mal dormidas, a contagem regressiva que demora a passar, e quando está perto de acabar, deveria se estender mais. Conheço de cor cada suspiro longo ao conferir o relatório, cada treino em frente ao espelho e cada reza antes de dormir, por um concurso perfeito.

Pais, mães, amigos, delegação das regiões, TORCIDA:
Vibrem por cada passo destas meninas, elas merecem toda a nossa admiração!
As abracem, chorem junto se elas chorarem, sorriam até doer as bochechas quando elas sorrirem. Estejam a postos para aquele carinho pós apresentações, e guardem as palavras mais belas de apoio para estes momentos. Todas são vitoriosas, corajosas e tenho certeza, não medem esforços pra estarem em busca deste sonho tão repleto de amor.

Meus desejos de MUITO sucesso a todas! Tenho certeza do merecimento de cada uma.
Nosso Rio Grande estará mais uma vez, muito bem representado.

Um abraço grande e bem apertado... e nos vemos em Bagé.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

1ª Prenda do RS - Roberta R. Jacinto

Boa noite amigos!!!

É com muita alegria que hoje trago aqui pro Cantinho um texto muito especial, escrito pela ainda atual 1ª Prenda do Rio Grande do Sul, Roberta Jacinto, especialmente para o nosso Blog.

Conheçam um pouquinho mais sobre a trajetória desta baita prenda que realizou não só o sonho dela, mas também o sonho de muitas de nós que já vivenciamos a magia das Cirandas...


"Há um bom tempo eu acompanho o Cantinho Gaúcho, mas, infelizmente, a 
correria do dia-a-dia me impedia de contribuir efetivamente. 
Hoje sobrou um tempinho (coisa rara nessa vida de prenda) e eu decidi escrever.
Pra começar, queria te agradecer, Carol, pelo carinho que tens com a nossa cultura, 
bem como pela tua preocupação e empenho para que ela seja preservada. 
Sem segundas intenções, apenas por amor, tu auxilia milhares de jovens com 
tuas postagens diárias. Que felicidade poder ter pessoas como tu em nosso meio!

Agora, quanto ao 'tal texto...'
Hoje, 19/05/2017, completa exatamente um ano da minha chegada a Passo Fundo. 
Era o início da realização deste sonho, embora os primeiros passos tenham sido 
dados bem antes. Lembro bem daquela tarde, início de noite. 
O tempo era um pouco chuvoso e o alojamento em frente ao Lalau. 
Cheguei no ginásio, arrumei meu cantinho pra dormir e fiquei ali, pensando em tudo 
que já havia passado. Hoje, coincidente e nostalgicamente, sobrou tempo e 
eu resolvi escrever. Lembro da minha mãe falando para eu ir na despedida 
e eu dizendo que não, que queria ficar ali. Fiz, na verdade, o que me deu vontade. 
Eu queria viver o meu momento, talvez por isso deu certo. Não fiquei pensando muito 
em protocolos e paradigmas, fui mais Roberta do que nunca.

Enquanto isso, a mãe seguia apavorada porque eu estava "calma demais" e pensativa. 
Mal sabia ela que, por certo, tinha um anjo me guiando lá de cima. 
Afinal, apesar de "fazer o que tinha vontade", não seria isso que me manteria calma. 
Pai, tenho certeza que tu estavas comigo o tempo todo... Até quando minhas costas 
doíam, mesmo depois de tomar quatro relaxantes musculares antes do baile. 
Acho, de verdade, que tu queria que eu tivesse um 'pouco' a mais de adrenalina. 
Queria 'me testar', como tantas vezes fez. Queria que a guria que dizia 'mãe, vai pro 
baile e se eu ganhar algo tu me chama', se sentisse desafiada e passasse por
 cima daquela dor. Lá no fundo, eu sei que tu deveria estar dizendo, 
assim como disse a oito anos atrás: 'independente do que acontecer, não desiste, vai atrás'. 

E eu fui.
A cada prova, eu fui. Fui eu mesma, abracei os desafios e venci os obstáculos. 
Fui em busca, não desisti. Cresci, chorei, ri, brinquei, abracei. 
Fui em busca da felicidade, em primeiro lugar (isso eu aprendi com a 
Júlia Graziela - 'primeiro tu tem que ser feliz, depois vem o resto', ela sempre dizia). 
 Consegui. Realizei o meu maior sonho de ser. Meu coração se aliviava ao ver
 inúmeras carinhas inchadas, de tanto chorar de felicidade. 
Minha alma estava lavada. Mas, por incrível que pareça, depois disso veio o maior desafio. 

Apesar de infinitamente feliz, da preparação intensa e dos tantos momentos de reflexão, 
era difícil vislumbrar de que forma poderia fazer o melhor para honrar e fazer 
valer a conquista deste sonho que era meu e de tantos. 
Por diversas vezes eu me perguntava: 'como seria a prenda ideal?', 'como deve 
ser meu comportamento?', 'o que eu devo mudar?', 'será que sou o suficiente?'. 
Mas Deus, em sua infinita bondade, colocou muitos anjos em minha vida e, 
certo dia, um deles soprou: 'seja o melhor que puder, sem deixar de ser quem tu és'. 
Desde então foi assim: em busca do melhor, sem mudar minha essência e transformando 
tudo aquilo que em mim havia de negativo. Não dei ouvidos aos tantos 'seja mais mocinha', 
'seja mais delicada', 'prenda tem que ser assim ou assado', 'prenda tem que falar baixo', 
'prenda do estado tem que isso ou aquilo'... A única coisa que busquei – e que 
de fato era e sempre será minha responsabilidade – foi preservar a cultura gaúcha 
e todos os valores que fazem parte do movimento tradicionalista. 

Fui feliz assim. Esse final de semana, completo 30 regiões tradicionalistas, 
buscando preservar o que eu acredito, e é por isso que sinto o dever cumprido. 
Não pelo fato das regiões, mas por perceber que eu não estou sozinha. 
A cada evento, as palavras de incentivo, carinho e reconhecimento fazem meu coração 
palpitar como se dissesse: tu estás honrando os teus e, o melhor, não estás sozinha. 
Por isso, fica a minha eterna gratidão por cada palavra, pelo apoio, pela oportunidade. 
Embora o coração esteja apertado e o 'nó na guela' seja dos grandes, eu sei que é preciso 
que as folhas se renovem para que a árvore possa dar novos frutos. 

Agora, sigo minha caminhada, e a estes frutos, que terão a oportunidade de escrever 
uma nova página no livro dos seus sonhos, digo que Bagé estará de braços abertos, 
esperando cada um. Sejam vocês mesmos, para que a essência deixada não 
pertença ao fruto de outro alguém.

Com carinho, 
Roberta R. Jacinto
1ª Prenda do Rio Grande do Sul 2016/2017"

Roberta, só tenho a agradecer pelas palavras, pelo carinho e confiança depositados a mim, e ao blog.
E sim, tu decifraste exatamente a essência da minha vida por este Cantinho: "sem segundas intenções, apenas por amor"!

Sempre acreditei que mais importante do que carregar uma faixa, é ser verdadeira em todos os momentos, e lutar incansavelmente por esta nossa cultura tão rica. Mais do que um pedaço de couro, devemos deixar rastros, bons exemplos e procurar sermos lembradas por nossos bons feitos.

E disso, tu entendes muito bem. Podes ter certeza que o Rio Grande se despede de ti, enquanto 1ª Prenda, com muito orgulho por tua trajetória e a certeza do bom legado que tu deixas pra tantas meninas e mulheres que em alguns dias estarão rumo a Bagé.

Muito obrigada pela contribuição com o nosso blog, e parabéns por teres sido uma Prenda de Primeira.
Tens toda a minha admiração, e saibas que é uma honra pra mim receber o teu reconhecimento.

Um grande abraço a todos que nos acompanham por aqui.... e um maravilhoso final de semana a todos :)

quinta-feira, 18 de maio de 2017

ATENÇÃO! Alteração nos locais das provas da 47ª Ciranda de Prendas Estadual

Prezados, informamos a alteração dos locais das provas da 47ª Ciranda Estadual de Prendas, que acontece nos dias 25, 26 e 27 próximos, na cidade de Bagé.

Segue folder com informações atualizadas!



Ajudem a compartilhar esta informação.
A Comissão Organizadora agradece!

Materiais de Estudo no Cantinho Gaúcho: onde encontrar?

Bom dia, bom dia!!!

Muita gente me chama pra conversar e pergunta sobre materiais de estudo, se tenho algo pra enviar por e-mail e tal... e a minha resposta é sempre a mesma: tudo que tenho já está aqui no blog.

Quando por ventura publico algo novo, é porque assim que consegui mais materiais, já compartilhei aqui com todos. O que acontece é que temos muuuito conteúdo aqui, basta procurar que tu achas.

Pra facilitar a algum tempo atrás coloquei "marcadores" nas publicações, então se tu fores ao lado direito da página, naqueles box de informações, vai ter um intitulado "Aqui você encontra", e ali mesmo vão estar todos os segmentos de todos os posts já feitos aqui no blog.

Mas, como estamos na época da Ciranda Estadual, e logo logo das Cirandas e Entreveros Regionais, vou reunir nesta publicação os links pra vocês! Sim, sou um amor! hahaha

Então, bora lá conteúdo aqui é o que não falta!!!


História do Rio Grande do Sul


Geografia do Rio Grande do Sul


Tradição, Tradicionalismo e Folclore


Diversos
Questões de Prova - Parte 4
Questões de Prova - Parte 5
Questões de Prova - Parte 6
Questões de Prova - Parte 7
Questões de Prova - Parte 8
Questões de Prova - Parte 9
Questões de Prova - Parte 10
Questões de Prova - Parte 11

Pessoal, estas são as publicações que foram feitas com materiais de estudo aqui no blog, ao longo destes sete anos. Peço a compreensão de todos no sentido de que são mais de mil publicações já feitas ao todo, e assim sendo, torna-se impossível verificar, uma a uma, se algum conteúdo está desatualizado ou então fora da bibliografia. Em caso de dúvidas, SEMPRE procurem uma fonte confiável!!! Posso garantir que 90% do que está aqui publicado veio de material indicado na bibliografia, mas todo cuidado é pouco.

Espero que gostem muito desta lista, e façam muito bom proveito.
Compartilhem com os amigos, ajudem a divulgar! Toda manifestação de cultura é bem vinda!

E deixe teu recadinho pra gente! Vou adorar!

Um grande abraço, e até logo! ;*

Estuda, tchê: Curiosidades sobre Tradição, Tradicionalismo e Folclore - Parte 3

Mais resumo sim, porque estudar nunca é demais!!!

Bora lá, muito foco, concentração e pensamento positivo!!!
Juntos somos mais fortes, e o Cantinho está aqui pra te fortalecer ainda mais!

Continue ligadinho que ainda vem mais por aí ;)

  • Tradição: Culto dos valores que os antepassados nos legaram. Vem do latim "tradito", que significa trazer, transmitir. 
  • Nativismo: É o amor que as pessoas tem pelo chão onde nasceram. O gaúcho tem duas palavras muitos ligadas ao Nativismo: pago e querência. Pago é onde se nasceu e a querência é onde se vive. É a arte que nasce. Temos a poesia, o romance, a música e a canção nativistas. 
  • Tradicionalismo: É a tradição em marcha. 
  • Folclore: É a ciência que estuda a cultura espontânea do grupo social. A cultura espontânea que o grupo incorpora naturalmente, sem ensino formal que se transmite de geração em geração. 
  • Regionalismo: O que é próprio de uma região. 
  • Em 1856 funda-se no Rio de Janeiro a Sociedade Sul-Rio-Grandense, de cunho tradicionalista, por Pereira Coruja, autor da 1ª pesquisa sobre o folclore gaúcho.  
  • No Rio Grande do Sul, em 22 de março de 1898, o Major João Cezimbra Jacques (Patrono do Tradicionalismo) funda em Porto Alegre o Grêmio Gaúcho, cuja função era unir os gaúchos após a sangrenta Revolução de 1893. 
  • Em Pelotas, em 10 de setembro de 1899, foi fundada a União Gaúcha, tendo como líder João Simões Lopes Neto.  
  • Getúlio Vargas, durante o Estado Novo (1937-1945), proibiu o uso de símbolos estaduais, tendo como símbolo máximo somente o pavilhão nacional. O Rio Grande do Sul não queimou suas bandeiras, como Vargas exigia, somente as recolheu. 
  • Antônio João de Sá Siqueira, Fernando Machado Vieira, João Machado Vieira, Cilso Araújo Campos, Ciro Dias da Costa, Orlando Jorge Degrazzia, Cyro Dutra Ferreira e João Carlos Paixão Cortes (líder) formaram o Grupo dos Oito.
  • MTG é uma sociedade civil sem fins lucrativos, dedica-se à preservação, resgate e desenvolvimento da cultura gaúcha, por entender que o tradicionalismo é um organismo social de natureza nativista, cívica, cultural, literária, artística e folclórica, conforme descreve simbolicamente o Brasão de Armas do MTG, com as sete folhas do broto, que nasce do tronco do passado. 
  • Convenção Tradicionalista: Órgão integrado pelos membros do Conselho Diretor, Conselho de Vaqueanos, Junta Fiscal, pelos Conselheiros Beneméritos e Coordenadores Regionais, reúne-se ordinariamente, de acordo com as prescrições do Regulamento Geral do MTG, em local fixado na Convenção anterior, ou por convocação extraordinária. Compete a Convenção Tradicionalista aprovar, alterar e reformar o Regulamento Geral do MTG, Códigos e demais Regulamentos, fixar os níveis das contribuições dos filiados e seu período de vigência, criar e extinguir ou desmembrar Regiões Tradicionalistas.
  • Congresso Tradicionalista: É a reunião em Assembléia Geral das entidades filiadas efetivas. Cada filiado efetivo poderá credenciar até 3 delegados, cada um com direito a um voto, mediante apresentação do Cartão Tradicionalista. Tem direito a voto também os membros do Conselho Diretor, do Conselho de Vaqueanos, da Junta Fiscal e os Coordenadores Regionais.  Compete ao Congresso Tradicionalista traçar as diretrizes, rumos e princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho, promover a aproximação fraternal dos tradicionalistas, estudar os aspectos cívicos, culturais e associativos do MTG, especialmente os que o caracterizam como instituição de utilidade pública, apreciar o relatório final do Conselho Diretor, conhecer o parecer da Junta Fiscal sobre o movimento financeiro e as mutações patrimoniais, destituir, por decisão de dois 2/3 (terços) de seus membros, em sessão extraordinária convocada especialmente para esse fim, o Presidente e os Vice-Presidentes do Conselho Diretor, elegendo, na mesma sessão, os sucessores, reformar o presente Estatuto e extinguir o MTG,
  • Órgão eletivo: Assembléia Geral Eletiva.
  • Órgãos administrativos: Conselho Diretor, Junta Fiscal e Regiões Tradicionalistas.
  • Órgãos de assessoramento: Conselho de Vaqueanos e Conselho de Ética.
  •  Definida pela Constituição Estadual com a data magna do Estado, o dia 20 de setembro passou a ser feriado. O decreto estadual 36.180/95, amparado na lei federal 9.093/95, de autoria do deputado federal Jarbas Lima (PPB/RS), especifica que "a data magna fixada em lei pelos estados federados é feriado civil"
  • A tese "O Sentido e o Valor do Tradicionalismo", de autoria de Luis Carlos Barbosa Lessa, foi aprovada no 1º Congresso Tradicionalista, realizado na cidade de Santa Maria, em 1954.   Segundo Barbosa Lessa, as duas grandes questões do tradicionalismo são a “atenção especial as novas gerações e assistência ao homem do campo” e é dito como fatores de desintegração da cultura “o enfraquecimento do núcleo cultural e o desaparecimento dos grupos locais”
  • Carta de Princípios foi escrita por Glaucus Saraiva da Fonseca e apresentada no 7º Congresso Tradicionalista, de 20 a 23 de outubro de 1960, na cidade de Santo Angelo, no CTG 20 de Setembro, 3ª RT. Foi aprovada no 8º Congresso Tradicionalista, de 20 a 23 de outubro de 1961, realizado da cidade de Taquara, 22ª RT, no CTG O Fogão Gaúcho. Foi a primeira diretriz aprovada no tradicionalismo. 
  • O Brasão de Armas do Tradicionalismo foi constituído no 7º Congresso Tradicionalista Gaúcho, em Tramandaí. O autor do projeto é Hermes Gonçalves Ferreira (1º Presidente do MTG). Com o passar dos anos o brasão foi alterado, passando a constar na elipse superior, a sigla MTG ao invés da palavra "Tradicionalismo".
  • A Bandeira oficial do MTG é representada por um retângulo branco e tem um assente, em sua parte central o Brasão oficial do MTG. A cor branca representa a coerência, a compostura, a harmonia, a paz, a moderação, a prudência, a quietude, a serenidade, a transigência e a tolerância. 
  • No 43º Congresso Tradicionalista Gaúcho, em Santa Cruz do Sul, foi aprovado o Hino Tradicionalista, com letra e música, de Luiz Carlos Barbosa Lessa.
  • Conto é a narração de um fato verídico ou fabuloso, transformado pela imaginação popular, um relato produzido pela manifestação espontânea da cultura, difundida pela fala, geralmente por pessoas idosas. No Brasil, o primeiro a coletar contos populares foi Sílvio Romero, no ano de 1885.  
  • Causo é uma pequena história verídica ou fictícia que retrata majoritariamente o meio ambiente do narrador, coisas acontecidas a ele. 
  • Lenda vem de legere: o que deve ser lido. Retrata história de santos. 
  • Mito é a transformação de seres e fenômenos naturais em corpos inaturais e forças sobrenaturais. 
  • Poesia é feita em quadrilha ou sextilha, a maioria dos versos são septassílabos (redondilha maior). 
  • Trova é o desafio em versos, onde os cantadores exibem destreza de pensamento. As competições podem durar horas, até que um dos trovadores se canse e lance o verso final, acompanhado pelo outro. Partes da trova: saudação, saudação ao adversário, trova de assunto, puaço, despedida. 
  • Décima é uma poesia narrativa, rimando os versos pares. O conteúdo se prende a narrativas históricas, trágicas, líricas, acontecimentos sociais, etc. 
  • Acróstico é uma composição poética, na qual letras ordenadas formam uma palavra composta ou frase. Pode ser feita com letras do início, meio ou fim dos versos. 
  • Orações são súplicas de caráter místico a fim de aplacar males, curar doenças, preservar lavouras, etc. 
  • A Boneca é seguramente, o mais antigo brinquedo que a humanidade conheceu. No Brasil colonial, surgiram mais ou menos em 1808, com a transferência da família real portuguesa para o país. No início, eram restritas à corte. Somente no século XX alcançaram os lares da classe média, quase sempre importadas. 
  • O Bilboque surgiu ainda na idade média, na França. Pode ser feito de madeira, reciclável (garrafa pet e bola de meia), ou dente de leão marinho e osso de foca. 
  • Cinco Marias são cinco saquinhos de tecido com enchimento de areia, grãos ou qualquer outro material que as deixem suficientemente pesadas para serem jogadas para cima e caírem com velocidade considerável. Também podem ser usadas pedrinhas. O jogo consiste em jogar uma “maria” para cima, pegando outra enquanto essa está no ar, e assim vai. O jogo pode ter vários estágios. 
  •  A Cama de Gato é uma brincadeira infantil com barbante a que se atam as duas pontas e que forma uma espécie de rede que outra criança deve tirar passando para suas próprias mãos, formando uma rede diferente da anterior. 
  •  Pião, Pinhão ou Finca é um brinquedo de madeira, com ponta de ferro. Gira pelo impulso de um cordão (fieira) enrolado na outra extremidade e puxado com velocidade e destreza.  
  • Pipa, Pandorga, Papagaio ou Arraia é um brinquedo milenar, que já foi usado como instrumento para experiências científicas, meio de comunicação, como biruta (instrumento que verifica a direção do vento), entre outros. Compõe a pandorga a armação de taquara, a armação de barbante, o papel de cobertura, a rabiola e a franja (roncadores). Anualmente, em Santana do Livramento, ocorre o Festival da Pandorga, realizado durante a Semana Santa. Reúne participantes de todo o Brasil, Uruguai e Argentina. 
  • A Peteca é um jogo de origem indígena, era jogado no inverno (colheita do milho). É feita de tecido, enchimento e penas. As industrializadas são feitas de couro.  
  • Perna-de-pau, também chamada de "andas", é constituída por sarrafos com até três metros de comprimento. Em cada sarrafo, a certa altura do chão, há um apoio para os pés. A criança sobe neste apoio e mantém as travas presas sob os braços, podendo assim mover as pernas à vontade. 
  •  A criação do presépio de Natal atribui-se a São Francisco de Assis, e sua introdução no Brasil deve-se aos jesuítas (1584). A árvore de Natal vem dos alemães, a Missa do Galo (celebrada às vésperas – madrugada – do Natal) dos portugueses. Comer figos na época traz boa sorte. Outra contribuição germânica é a Coroa do Advento (velas são acesas nas semanas que antecedem o 25 de dezembro). Mais restrito às comunidades alemãs é o costumes de cantar o  Tannembaum (canção ao pinheirinho de Natal) e distribuírem weincchts (bolachas confeitadas com formatos variados, como pessoas, animais, objetos, motivos natalinos, etc). Entre os italianos, registra-se o costume de colocar água e capim na porta de casa, destinados aos animais do presépio. Grupos saem cantando  La Nuova Stella aos vizinhos.  
  •  As Festas Juninas acontecem no ciclo junino, de 13 a 29 de junho. São de origem portuguesa e fazem parte destas o pau-de-sebo, jogos de víspora, tômbulas, quermesse e outros, além do levantamento de mastro. As comidas são o pão-de-ló, pé-de-moleque, quentão, rapadura, pipoca, pinhão, maçã-do-amor, arroz-doce e outros.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Estuda, tchê: Curiosidades sobre História - Parte 2


Estamos a apenas OITO dias da Ciranda Estadual, e os estudos a esta altura do campeonato já devem estar 100%!

Então vem com a gente neste baita resumo e anota tudinho que ainda tens dúvida, lê e relê com muita atenção pra não errar no momento da prova! Cada ponto perdido pode definir o resultado final!

Muita atenção e foco são essenciais!!!

Vamos lá?
  • O Tratado de Tordesilhas, assinado em 1494, determinava que as terras até 370 léguas das ilhas de Cabo Verde pertenciam a Portugal, enquanto o resto da América seria dada a Espanha.
  • Os grupos que pertenciam aos Guaranis eram Tapes, Arachanes, Patos e Carijós. A ocupação era o centro do Estado, noroeste e litoral, nos vales dos rios e margem das lagoas. Se alimentavam de moluscos, frutas, raízes e mel, e cultivavam milho e aipim. Viviam em aldeias, ocas coletivas e dormiam em redes, guardando objetos nos jiraus. O homem preparava a coivara (queima da vegetação e preparação do solo para plantio), a mulher plantava e semeava. Cultivavam o milho, a mandioca, o feijão, a abóbora, a batata-doce, o amendoim, o fumo e o algodão. Coletavam erva-mate e frutos. Armavam-se de arco, flecha, tacape, lança, boleadeira e caçavam em grupo. 
  • Os Gês ou Jês são talvez a tribo mais antiga que habitava nosso território, começando a se instalar no RS por volta de II a.C.. Habitavam os Campos de Cima da Serra e a região do Alto Uruguai, tendo preferência pelas zonas de araucárias, pois o pinhão constituía a base de sua alimentação. Eram chamados de bugres pelos europeus, e eram formados principalmente pelos guaianás, coroados, pinarés, ibyaras, gualachos, botocudos e caraguás. Eram dirigidos por um chefe feiticeiro e dividiam-se em dois grupos de trabalho (clãs): Clã do Sol (caçadores) e Clã da Lua (guerreiros). Praticavam a poligamia, moravam em casas de palha, mas no inverno faziam casas subterrâneas, buracos de 2 metros de profundidade por 5 metros de largura protegidos por galhos de árvores e folhas de palmeiras. Foram destruídos por epidemias de origem europeia e africana, bem como pela ação dos bandeirantes, guaranis missioneiros, colonizadores portugueses e ítalo-germânicos nos séculos XVII e XVIII. 
  •  Os Pampeanos era um grupo formado principalmente por charruas, minuanos, chanás, iarós, mbohanes e guenoas, eram em menor número no estado, vivendo no sul e sudoeste do atual RS, na totalidade da atual República Oriental do Uruguai, nos cursos inferiores (foz) dos Rios Uruguai, Paraná e da Prata. Eram nômades, construíam suas tendas de esteira de junco, geralmente perto dos rios ou banhados, pois praticavam somente a caça, a pesca e a coleta, e não a agricultura. Alimentavam-se de aves, peixes, animais e crustáceos, coletando frutos e sementes. Praticavam a poligamia. Quando entraram em contato com o gado e o cavalo, tornaram-se exímios cavaleiros, usando como armas a boleadeira, a lança e a flecha. 
  • As primeiras reduções brasileiras ocorreram onde hoje é o Paraná, as missões do Guairá, perto de Assunción, no Paraguai. Tais aldeamentos logo foram atacados por bandeirantes (liderados por Manuel Pretto e Raposo Tavares) em busca de indígenas para trabalhar nas lavouras em São Paulo e outros locais do Brasil, principalmente os Guaranis, por serem bons agricultores. 
  •  A primeira delas foi São Nicolau de Piratini, em 1626, fundada pelo padre uruguaio Roque Gonzáles de Santa Cruz.
  • Logo os bandeirantes as descobriram e começaram a sequestrar indígenas novamente. Em 1641, os jesuítas fogem para a margem oeste do Uruguai, atual Argentina. Na fuga, os jesuítas foram obrigados a deixar a maior parte do gado que criavam (trazido para o RS em 1634 pelos padres Cristóvão de Mendonça Orelhano e Pedro Romero) para trás. Este se reproduziu livremente, originando uma grande reserva de gado chimarrão (selvagem) na faixa sudoeste/sul do estado, a Vacaria do Mar
  • Em 1682 os jesuítas voltaram ao RS e fundaram os Sete Povos das Missões (também chamadas de Missões Orientais), um conjunto de missões próspero que concentrou cerca de 40 mil indígenas. Ali os jesuítas introduzem o gado, formando uma nova reserva chamada de Vacaria dos Pinhais.   
  • Em 1680, D. Manuel Lobo, a mando de Portugal, funda a Colônia de Sacramento, na margem oposta do Rio da Prata, em frente a Buenos Aires. Segundo o Tratado de Tordesilhas, as terras pertenceriam à Espanha, e esta tentou diversas vezes expulsar os portugueses, sem sucesso. 
  •  A fim de prestar ajuda a Colônia de Sacramento e explorar o gado rio-grandense, o paulista bandeirante Domingos de Brito Peixoto e seu filho Francisco fundaram em 1684 a vila de "Santo Antônio dos Anjos de Laguna", no litoral de SC. 
  • Para proteger o território do RS dos castelhanos, o brigadeiro José da Silva Paes, militar português, funda em 19 de fevereiro de 1737 o Forte Jesus-Maria-José, que deu origem à cidade de Rio Grande, pois possibilitou o povoamento da região e facilitava o comércio do gado e a vinda de contrabando do Prata, além de servir de elo entre Laguna e a Colônia de Sacramento. Até 1763, não entravam no porto navios comerciais. Mais tarde, em 1760, Rio Grande se torna a sede da Capitania. 
  • O Tratado de Madrid, redigido em 1750 pelo brasileiro Alexandre de Gusmão, foi assinado em 1750 por Portugal e Espanha, modifica o Tratado de Tordesilhas e determina a troca da Colônia de Sacramento, em posse de Portugal, pelos Sete Povos das Missões, em posse da Espanha. Foi anulado elo Tratado de El Pardo em 1761, pela dificuldade em expulsar os missioneiros e atritos entre portugueses e espanhóis, assim Portugal recuperou a Colônia de Sacramento. 
  • Jesuítas e indígenas reivindicam suas terras perante o Tratado de Madrid e passam a lutar contra as tropas espanholas e portuguesas, originando a primeira guerra no território sul rio-grandense, a Guerra Guaranítica, de 1754 a 1756.
  • Entre os indígenas, destacou-se o herói Sepé Tiaraju, autor da frase “Esta terra tem dono. A recebemos de Deus e de São Miguel. Nenhum estranho lhe porá a mão”. Sepé Tiarajú morreu em 7 de fevereiro de 1756, em uma escaramuça junto a Sanga da Bica, no atual município de São Gabriel. Foi substituído por Nicolau Nhenguiru. Três dias depois a Guerra acaba, na batalha de Caiboaté (os indígenas foram massacrados), em 10 de fevereiro de 1756. Os indígenas queimaram seus lares e igrejas, refugiando-se nas matas.
  • O Tratado de El Pardo, em 1761, anulava o Tratado de Madrid, e os indígenas retornaram as missões, mas completamente diferentes. 
  • Em 1777 os portugueses foram obrigados a assinar o Tratado de Santo Ildefonso, que dava a Colônia de Sacramento e as Missões a Espanha. Em 1801, foi assinado o Tratado de Badajoz, onde os portugueses conquistam o território das Missões e a Colônia de Sacramento fica em definitivo para a Espanha. 
  • O "Tropeiro Símbolo do Rio Grande do Sul" é Cristóvão Pereira de Abreu, o principal tropeiro da época.
  • Em 1730, as primeiras estâncias (fazendas para criação de animais) surgiram, localizadas principalmente nos campos de Viamão, onde Portugal distribuiu as sesmarias. 
  • A primeira sesmaria foi erguida em Tramandaí, em 1732, por Manoel Gonçalves Ribeiro, nos chamados “Campos de Viamão”. Após a criação do Forte Jesus Maria José, foram doadas sesmarias ao longo do rio Jacuí, Laguna dos Patos e Litoral. Em 1777, estendiam-se por toda a extensão da Laguna dos Patos. 
  • A maior parte do charque gaúcho era produzido ao longo da região da Laguna dos Patos e da Lagoa Mirim, destacando-se Pelotas, onde foi fundada a primeira charqueada, em 1780, pelo português José Pinto Martins. A produção escoava pelo porto de Rio Grande. 
  • O 1º Presidente da Província foi o Mal. João de Deus Mena Barreto. Por decreto de 27 de abril de 1809 o território foi dividido em quatro vilas: Porto Alegre, Rio Grande, Santo Antônio da Patrulha e Rio Pardo.
  • O primeiro povoado açoriano foi Taquari. Outros açorianos se instalaram as margens do Guaíba em 1752, dando origem a um povoado que foi chamado primeiramente de Porto de Viamão, mais tarde Porto dos Casais, Porto do Dornelles e finalmente Porto Alegre.
  • Cidades colonizadas por açorianos: Porto Alegre, Rio Grande, Caseiros, Triunfo, Taquari, Rio Pardo, Estreito, São José do Norte.
  • A primeira leva de alemães chegou em 25 de julho de 1824, instalando-se primeiramente no Rincão do Canguaçu (Pelotas). Dado o insucesso da lavoura, foi transferida para as margens do Rio dos Sinos, onde também fracassou, por culpa das administrações infelizes. Então, José Feliciano Fernandes, presidente da província na época, transferiu as famílias para a Real Feitoria do Linho e Cânhamo (posto comercial que foi uma tentativa do governo português de obter fibras para uso têxtil), criando a Colônia Alemã de São Leopoldo, em homenagem a imperatriz D. Leopoldina.
  • Os alemães fundaram cidades como Novo Hamburgo, São Leopoldo, Santa Cruz do Sul, São Sebastião do Caí, Lajeado.
  • Atraídos por comentários positivos e terras prometidas, italianos chegaram ao Brasil em 1875. A maior parte é mandada as fazendas de café em São Paulo, e o resto foi enviado a Porto Alegre. Os imigrantes italianos povoaram a Serra Geral e a encosta do Planalto Rio-Grandense, locais de difícil acesso, onde fundaram suas primeiras colônias, Conde D’Eu (atual Garibaldi) e D. Isabel (hoje distrito de Bento Gonçalves). 
  • As cidades de origem italiana são Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Farroupilha, Garibaldi, Encantado, Carlos Barbosa.
  • Em 20 de setembro de 1835 os grandes pecuaristas gaúchos, liderados por Onofre Pires e Gomes Jardim, revoltam-se contra o governo central, acampam na Azenha e invadem Porto Alegre, derrubando o presidente da província Fernandes Braga (que foge para Rio Grande levando tudo o que havia nos cofres públicos) e dando início a Revolução Farroupilha.
  • Após a Batalha do Seival (10 de setembro de 1836), em 11 de setembro de 1836 Antonio de Souza Neto proclama a República Rio-Grandense na Câmara Municipal de Jaguarão e entrega a presidência a Bento Gonçalves da Silva, que não a aceita pois, em 4 de outubro, é preso na Batalha da Ilha do Fanfa, derrotado pelas tropas de Bento Manoel. Assume em seu lugar Gomes Jardim
  • Durante a guerra, o porto marítimo de Rio Grande foi bloqueado pelo império, então o charque gaúcho passou a ser vendido pelo porto de Montevidéu, no Uruguai. A necessidade de apoio e de um porto próprio leva Davi Canabarro e Giuseppe Garibaldi a invadirem Laguna em 29 de julho de 1839 e proclamar a República Juliana. Para isso se utilizaram dos barcos Farroupilha (barco austríaco tomado por Garibaldi que o rebatizou) e Seival (barco usado para invasão), que foram transportados por terra até Laguna utilizando-se de carretas puxadas por mais de 200 bois. 
  • Na República Rio-Grandense, os farroupilhas não libertavam seus escravos, mas sim davam a eles duas opções: continuarem cativos como propriedade do Tesouro da República ou serem libertos se ingressassem no Exército Rebelde. Os negros que escolheram a segunda opção formaram os dois corpos dos Lanceiros Negros, cerca de 400 homens. Tiveram atuação importante na Batalha do Seival e faziam uso do bichará como escudo.
  • A Revolução Federalista foi uma guerra civil ocorrida inicialmente no Rio Grande do Sul, entre 1893 e 1895, durante o governo do presidente Floriano Peixoto, opondo dois grupos da oligarquia rural pelo controle político do Estado. Foi também um conflito extremamente violento – dez mil mortos em uma população de um milhão de pessoas – e devido ao ato de degolar os combatentes vencidos de ambos os lados, ganhou também a alcunha de Revolução da Degola
  • Um dos lados em disputa era formado pelos republicanos ou pica-paus (devido ao uso de roupas azuis e quepe vermelho), organizados em torno do Partido Republicano Rio-Grandense (PRR) e tendo como principal líder o governador do estado, Júlio de Castilhos.
  • O ano de 1923, no Rio Grande do Sul, foi marcado  pelo confronto, entre os assisistas e borgistas, conhecido como Revolução de 23 ou Assisista. O primeiro grupo, compondo a oposição, era formado pelos dissidentes do Partido Republicano Rio-Grandense (PRR) e antigos federalistas (maragatos), reunidos, sob a liderança do diplomata e pecuarista Joaquim Francisco de Assis Brasil (1857- 1938). O segundo grupo, composto por chimangos (antigos pica-paus), era liderado por Antônio Augusto Borges de Medeiros (1863-1961) que governou o Estado, por mais de 20 anos, de forma ditatorial. 
  • A Revolução de 1923 teve a duração de 300 dias, totalizando vinte e um combates, nos quais se perderam mais de mil vidas.  Este confronto possui causas e origens semelhantes às da Revolução Federalista (1893-1895), na qual a questão fundamental era o caráter político-ideológico e a disputa pelo poder. 
  • O termo chimango (lenço branco), que se refere a uma ave de rapina magra e de nariz comprido e curvo - muito comum dos pampas - ficou consagrado na obra do médico, político e jornalista Ramiro Barcelos (1851-1916), cujo título é Antônio Chimango. 
  •  O termo maragato (lenço vermelho) está ligado aos seguidores do líder político Gaspar Silveira Martins (1835-1901) que fundou, em 1892, na cidade de Bagé, o Partido Federalista (PF), antigo Partido Liberal, durante o Império, que fazia oposição ao Partido Republicano Rio-grandense (PRR), liderado por Julio Prates de Castilhos (1860-1903). 
  • O Brasil foi o último país da América a abolir a escravidão. Em 1888, a princesa Isabel assinou a Lei Áurea, que libertava todos os escravos do país. No Rio Grande do Sul, a libertação aconteceu em 1884, mas a maioria teve que trabalhar de graça para seus senhores por mais cinco anos. 

terça-feira, 16 de maio de 2017

​Fegadan será em Antônio Prado


O Movimento Tradicionalista Gaúcho confirmou nesta semana a realização do Fegadan – Festival Gaúcho de Dança, no município de Antônio Prado, na 8ª Região Tradicionalista. Segundo o vice-presidente Artístico, José Roberto Fishborn, uma parceria com a Prefeitura Municipal e o CTG Cancela do Imigrante está sendo desenhada para levar ao município o mais importante evento de danças gaúchas de um estilo mais espontâneo, alicerçado nas obras de João Carlos Paixão Côrtes e Luiz Carlos Barbosa Lessa. Segundo projeções iniciais, o evento deve acontecer nos dias 14 e 15 de outubro, juntamente com a Fegachula – Festival Gaúcho de Chula.

As categorias contempladas são Danças tradicionais (mirim, juvenil, adulta, veterana e xiru) e Danças Birivas do Tropeirismo Gaúcho. Paralelo ao concurso principal também haverá competições de Indumentária mais autêntica, Musical mais autêntico e mais fiel aos temas apresentados e Melhor acampamento.

Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, a entidade busca consolidar um novo modelo de parceria com entidades e gestores públicos, de forma a garantir a sustentabilidade dos eventos.

Mais novidades em breve.

Fonte: MTG.

CTG Pagos de São Rafael promove fandango neste sábado


O CTG Pagos de São Rafael, de Cruzeiro do Sul - 24ª RT, promove grande jantar baile neste sábado, dia 20. O jantar será servido as 20 horas e logo após terá encerramento de curso de Dança de Salão e fandango animado pelo grupo Nativo Serrano.

Os cartões podem ser adquiridos antecipadamente ao valor de R$ 25,00, e podem ser reservados via whatsapp pelo número 99991-0128.

Participe!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

MTG realiza Cfor em Santa Maria


Recepção - 8h
Início - 9h
Término - 17h30 min
Local do Curso - CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA
R. Silvino Jacobe Zimerman, 115 - Camobi, Santa Maria - RS, 97105-380

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

- História do Rio Grande do Sul
- História do Tradicionalismo Gaúcho
- Noções básicas da Cultura Gaúcha
- Carta de Princípios
- Gestão de Pessoas: liderança, relacionamento interpessoal e gerenciamento de conflitos
- Voluntariado

OBSERVAÇÃO

• Traje Pilcha

sexta-feira, 12 de maio de 2017

CTG Tropilha Farrapa realiza Chá no dia 20


A Invernada Adulta do CTG Tropilha Farrapa, de Lajeado - 24ª RT, está promovendo um Chá que ajudará o grupo na arrecadação de verba para mais uma participação no ENART!

O evento, a ser realizado no dia 20 de maio, abrangerá duas formas de participação:

A primeira opção, é adquirir um cartão ao valor de R$ 20,00, que dará direito ao buffet livre de doces e salgados, que será servido das 14h30min às 17h30min na sede da entidade.

A segunda opção, ao valor de R$ 15,00, será uma bandeja de chá comercial que poderá ser retirada também na sede da entidade, ou então com os dançarinos, no horário de 11h30min às 17h30min do mesmo dia.

Ambos cartões podem ser adquiridos com integrantes da Invernada Adulta!


Não fique de fora! Vai ser uma delícia ;)
Participe!!!

Nova Parceria: A Estancieira - Acessórios Para Prendas

Bom diiia amigos!!!

Hoje trago pra vocês a divulgação de uma marca super bacana, que está deixando as prendas pelo Rio Grande ainda mais lindas!!! Já conheces A Estancieira - Acessórios para Prendas???


Eles confeccionam camafeus desde 2012, sendo todo o processo artesanal. Aceitam encomendas para grupos de danças, personalizam as jóias de acordo com a pilcha e/ou conforme o gosto do grupo!

Enviam as peças para TODO BRASIL, via correio!!! :)










Estes são apenas alguns, da vasta linha de brincos, camafeus e gargantilhas que A Estancieira - Acessórios para Prendas confecciona. Se queres conhecer ainda mais este trabalho lindo, visite a página deles no facebook: Fanpage A Estancieira.

Os contatos estão no folder acima! Não perca tempo e faça já a tua encomenda ;)

Um forte abraço... e até logo!

quarta-feira, 10 de maio de 2017

3ª Prenda do RS - Carolina Amaral Ehlert

Bom diiia amigos!!!

Estamos em total clima de Ciranda por aqui (faltam QUINZE dias!), e é com muita alegria que hoje trago ao blog um texto enviado pela 3ª Prenda do Rio Grande do Sul, Carolina Amaral Ehlert, que estará se despedindo do cargo daqui alguns dias.

Vamos conhecer agora esta baita prenda, minha xará, e que tão bem nos representou durante esta gestão :)


“Os cientistas dizem que somos feitos de átomos, 
mas um passarinho me disse que somos feitos de histórias.”

A minha história no tradicionalismo vem de longa data. São anos de esforço e
 dedicação para divulgar nossa cultura e para finalmente ouvir meu nome sendo anunciado 
em um baile de divulgação de resultados da Ciranda Cultural de Prendas, em sua fase estadual. 
Não há palavras que descrevam a emoção e a felicidade que senti ao ter esse sonho 
concretizado na cidade de Passo Fundo!

Ser uma das nove representantes de todas as Prendas do Rio Grande do Sul é uma sensação 
única e recompensadora, no sentido de ter a oportunidade de continuar divulgando e 
difundindo nossa cultura da forma mais ampla e abrangente que esse cargo nos proporciona.

Quando a caminhada se iniciou tinha grandes expectativas e afirmo que, todas foram superadas!
Acredito que um dos motivos foi por ter ao meu lado Prendas e Peões que também 
carregavam a ambição de realizar um trabalho responsável, coerente e digno durante 
esse um ano de caminhada. A Gestão dos 50 anos trabalhou de forma diferente, 
porém com a mesma determinação e com uma união maravilhosa, 
sendo que hoje não somos apenas colegas de encargos, somos amigos: uma família. 

Tenho a plena certeza de ter feito o que estava ao meu alcance para bem representar 
minha entidade mãe, o CTG Querência Crioula, minha 3ª RT e o 
Rio Grande do Sul por todos os lugares em que estive. 

A minha caminhada foi linda! 
Foram momentos incríveis vivenciados! 
Pessoas maravilhosas “apareceram” no meu caminho! 
Confesso, que nesse momento, a única frase que me que pode traduzir o quanto sou grata é:
“As vezes Deus acerta tanto que a gente nem sabe como agradecer”.

No que precisarem podem ter a certeza que essa prenda estará a disposição, que continuemos
 trabalhando para que cada dia mais nosso Movimento só se fortaleça e cresça.

Muito Obrigada Rio Grande do Sul por me permitirem continuar sonhando e
 terem auxiliado para que a concretização desse sonho fosse tão incrível!

Carolina Amaral Ehlert
CTG Querência Crioula – Giruá – 3ª RT
3ª Prenda do Rio Grande do Sul – 2016/2017

Carol, parabéns pela linda história que construístes no Movimento!
És uma prenda exemplo, de garra e determinação, e principalmente, dedicação.
O Rio Grande se orgulha de ti, e da tua representatividade enquanto Prenda Estadual, e podes ter certeza que muitas prendas que estrarão participando desta 47ª Ciranda se espelham na tua trajetória.
Obrigada pela contribuição com o nosso Cantinho ♥

Um beijo, e até logo ;)

segunda-feira, 8 de maio de 2017

1ª Etapa do Circuito de Rodeios da 24ª RT - Resultado

Boa tarde pessoal!


Ontem aconteceu no CTG Giuseppe Garibaldi, de Encantado - 24ª RT, a 1ª Etapa do Circuito de Danças Tradicionais Regional, neste ano de 2017.

Diversos grupos de dança estiveram mostrando suas habilidades nas cinco categorias, promovendo um grandioso evento de integração na região. O resultado tu conferes agora, aqui no Cantinho:

Categoria Pré-Mirim
1º - CTG Giuseppe Garibaldi - Encantado
2º - GAN Anita Garibaldi - Encantado
3º - CTG Erva Mate - Venâncio Aires
4º - CTG Chaleira Preta - Venâncio Aires
5º - CTG Sentinela da Tradição - Muçum

Melhor coreografia - GAN Anita Garibaldi

Categoria Mirim
1º - GAN Anita Garibaldi - Encantado
2º - CTG Chaleira Preta - Venâncio Aires
3º - CTG Giuseppe Garibaldi - Encantado
4º - CTG Sentinela da Tradição - Muçum
5º - CTG Tropilha Farrapa - Lajeado

Melhor coreografia - GAN Anita Garibaldi

Categoria Juvenil
1º - CTG Erva Mate - Venâncio Aires
2º - CTG Chaleira Preta - Venâncio Aires
3º - CTG Porteira dos Pampas - Teutônia
4º - CTG Querência do Arroio do Meio - Arroio do Meio
5º - CTG Querência da Amizade - Bom Retiro do Sul

Melhor coreografia - CTG Erva Mate

Categoria Adulto
1º - CTG Tropilha Farrapa - Lajeado
2º - DTG Piazito da Tradição - Venâncio Aires
3º - CTG Chaleira Preta - Venâncio Aires

Melhor coreografia - CTG Tropilha Farrapa

Categoria Xirú
1º - GAN Anita Garibaldi - Encantado
2º - CTG Chaleira Preta - Venâncio Aires
3º - CTG Tropilha Farrapa - Lajeado

Melhor coreografia - GAN Anita Garibaldi

Parabéns aos organizadores, em especial ao CTG Giuseppe Garibaldi pela hospitalidade e à 24ª RT por ajudarem a promover mais eventos artísticos em nossa região.
E parabéns também, é claro, a todos os participantes que abrilhantaram o evento!

E não esqueçam, dia 11 de junho o CTG Tropilha Farrapa - Lajeado, aguarda a todos para a 2ª Etapa do circuito e 1º Rodeio Estadual de Dança de Salão.

Tchê esperamos!

Um forte abraço... e até mais!