sexta-feira, 24 de julho de 2020

Jéssica Herrera prepara livro sobre Noivas de Preto


Começou como uma atividade escolar e está se transformando em livro, pela editora Pragmatha. A trajetória das Noivas de Preto no Vale do Taquari é o objeto de pesquisa de Jéssica Herrera. Ela foi 1ª Prenda do Rio Grande do Sul na gestão 2018/2019 e, nesta entrevista, fala sobre como foi o processo, com destaque para as dezenas de entrevistas realizadas ao longo de dois anos..

Você está preparando um livro sobre as Noivas de Preto. Como surgiu a ideia?

Em 2010, ao escrever o “Livro da Vida”, como uma atividade escolar, compreendi que a tradição das noivas de preto faz parte da história da minha família. A obra foi, em um primeiro momento, publicada como pesquisa em decorrência da 48ª Ciranda Cultural de Prendas do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), que resultou no consequente título de 1ª Prenda do Rio Grande do Sul 2018/2019. Com o amadurecimento da pesquisa, busco através da publicação do livro registrar a história das noivas de preto, uma vez que a temática carece de referências bibliográficas. Ademais, será a oportunidade de homenagear estas mulheres e suas famílias, que contribuíram imensamente com minha pesquisa.

Para escrever, você fez dezenas de entrevistas. Como foi esse processo?

Foram dois anos de trabalho. O tema “Noivas de preto” carece de referências bibliográficas, então o colhimento de informações e de fotografias foi, sobretudo, através das entrevistas com descendentes das noivas de preto. Para encontrar as pessoas que dominassem do assunto, contei com o auxílio de amigos que realizaram indicações e, também, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB) de Lajeado, que fez a divulgação da minha busca. Dessa forma, alcancei familiares de noivas de preto, historiadores, pastor, estilista para contribuírem com o processo de pesquisa.

Desta experiência, quais as suas maiores alegrias?

A maior alegria deste processo é poder registrar a história das noivas de preto – mulheres que escreveram seu capítulo na História. Ademais, é uma oportunidade de deixar um legado para as gerações futuras que desejarem saber mais sobre a história da imigração alemã no Vale do Taquari, as vestimentas, os casamentos.

Quais foram seus maiores desafios na elaboração da obra?

Em relação ao maior desafio, certamente, é a carência bibliográfica. A tradição era intensamente presente nas vidas mulheres descendentes de alemães. Muitas famílias possuem fotografias de familiares que registram o momento do casamento de uma noiva de preto, porém não conhecem as razões para tanto, uma vez que o assunto não é abordado em livros, materiais de pesquisa etc.

A que público sua obra se destina?

A obra se destina a todos aqueles que desejam conhecer uma tradição que fala pela mulher, pois as vestimentas, especialmente os vestidos de noiva pretos, expressam os sentimentos, os protestos, a classe social e a identidade de um grupo social.

Fonte: Sandra Veroneze | Pragmatha Business

terça-feira, 23 de junho de 2020

1ª Charla Virtual do CCN Piazito Carreteiro

É com muita alegria que convidamos a todos os amigos a participarem deste primeiro evento virtual do CCN Piazito Carreteiro, da cidade de Ijuí!

Nossa 1ª Charla Virtual abordará o tema anual do Movimento Tradicionalista Gaúcho: "MTG- sustentabilidade e as novas gerações" e terá a participação dos tradicionalistas Lucas Oliveira, Hellen Teixeira e Alessandra Motta.

Visualização da imagem Visualização da imagem

O evento é uma promoção do CCN Piazito Carreteiro e a sua realização está por conta da menina Izabelly Borges Albrecht - 2a Prenda Mirim do CCN Piazito Carreteiro, gestão 2019/2020.

O evento terá certificado de participação e as inscrições deverão ser feitas neste endereço :
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScyaV1vMWCpx-lNcFxFBfanoG__vmBePX6MTMy0oMYpCOAZdw/viewform?vc=0&c=0&w=1&usp=mail_form_link

1º Seminário Inter-Regional "As Mulheres Gaúchas" acontece dia 11 de julho

Saudações Tradicionalistas!

Viemos por meio deste, convidar a todos para participarem do 1º Seminário Inter-regional: "As Mulheres Gaúchas". Idealizado e organizado pelas prendas Julia Goes de Paula e Juliana Caroline Ceccatto, e que conta com o apoio da 6ª RT e da 7ª RT do MTG-PR.

Visualização da imagem

Em sua primeira edição, o seminário tem como tema "As Mulheres Gaúchas" e será realizado pela plataforma online, GoBrunch, no dia 11 de Julho, às 19 horas.

As palestrantes convidadas são:
• Aritanna Kuyumtzief - 1ª Prenda Veterana da CBTG.
Tema: "Enquanto Prenda, qual o meu lugar no Movimento Tradicionalista Gaúcho?"

• Jaqueline Novis - 1ª Prenda e Diretora Jovem da CBTG.
Tema: “A mulher no Tradicionalismo: A evolução do 'mito' aos dias de hoje"

• Juliane Carvalho - 3ª Prenda do Rio Grande do Sul.
Tema: "Ser Prenda: Há um padrão a ser seguido?"

As inscrições poderão ser feitas através do link
https://forms.gle/iakbTATfYFMmEqZq7

Mais informações: Julia - 46 99122-7479
Juliana - 42 9827-2550

quarta-feira, 17 de junho de 2020

Escola CIEP de Tapes divulga Projeto BRINCANDO NA QUARENTENA


A Escola Gaston Augusto Santos Cesar - CIEP, de Tapes, tem a tradição de trabalhar a cultura gaúcha o ano inteiro, através de oficinas de artesanato, poesia, tiro de laço... e possui três invernadas: Pré-mirim, Mirim e Juvenil.

Com a pandemia do Covid-19, a Escola, com saudades das atividades gaúchas, planejou o Projeto: "Brincando na Quarentena" (On-line) inspirada na Campanha do MTG "Abrace uma Criança".

Todos os dias dessa semana, no facebook da Escola CIEP será postado um vídeo de professoras falando e demonstrando sobre um brinquedo folclórico. O objetivo do projeto é incentivar as crianças a brincar e se divertir nesse tempo de pandemia, resgatando os brinquedos da nossa cultura gaúcha.

"Os brinquedos e as brincadeiras folclóricas fornecem aqueles v
erdadeiros valores tradicionais da sociedade, 
do meio qual a criança vive e que são transmitidos 
de geração a geração."
(Neusa Marli Bonna Secchi).

quarta-feira, 10 de junho de 2020

Acendimento da Chama Crioula 2020 é transferido para 2021


O Acendimento da Chama Crioula, que marca a abertura dos Festejos Farroupilhas a cada ano, foi transferido para 2021, devido à pandemia da covid-19 e respectivos protocolos de saúde pública estabelecidos pelas autoridades sanitárias e que suspenderam todas as atividades que gerem aglomeração.

A definição aconteceu em reunião online realizada no dia 9 de junho pela presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul, Gilda Galeazzi, com os coordenadores das 30 Regiões Tradicionalistas. Para referendá-la, nos próximos dias, haverá reunião do Conselho Diretor da entidade.

Para 2021, fica mantida a cidade de Canguçu, na 21ª Região Tradicionalista, como local do evento e a portaria 39/2014, que define os locais de acendimento da Chama Crioula para os próximos 30 anos, fica estendido para 2045.

Segundo Gilda, o local, o acendimento e a distribuição da Chama Crioula em 2020 ficam a critério de cada uma das 30 Regiões Tradicionalistas, dentro de suas áreas de atuação, e em conformidade com os decretos de saúde pública estaduais e municipais.

Fonte:
Sandra Veroneze | Pragmatha Business

Definidos tema e patrona dos Festejos Farroupilhas 2020


Os Festejos Farroupilhas de 2020 já têm tema e patrona definidos. A escolha aconteceu durante reunião da Comissão Estadual, online, na segunda-feira, 08 de junho. Como tema foi escolhido “Gaúchos sem Fronteiras” e como patrona a tradicionalista Alessandra Carvalho da Motta.

Segundo César Oliveira, presidente da Comissão, o tema faz uma homenagem à particularidade do povo gaúcho de espalhar-se geograficamente pelo mundo, porém sem perder suas raízes culturais. “Com a expansão do agronegócio, há algumas décadas, os gaúchos ganharam o Brasil. Hoje vemos centro de tradição gaúcha inclusive na China”, afirma.

A escolha do tema também abarca outro elemento fundamental, segundo César: o apreço das pessoas de fora pela cultura gaúcha. “É muito comum vermos pessoas que nos visitam, seja a trabalho, ou turismo, levarem um pouco da nossa cultura junto”. Ser gaúcho, na sua opinião, é um estilo de vida.

A escolha de Alessandra Carvalho da Motta como patrona, na opinião do presidente, é justa e merecida, dada a trajetória e dedicação de Alessandra. “Tem uma linda história, que nos inspira no fazer tradicionalismo e esta é uma homenagem justíssima”, afirma.

Alessandra Carvalho da Motta é natural de Cachoeira do Sul, formada em Direito pela PUC/RS e especializada em Direito Penal pela UFRGS. Servidora pública federal no TRF da 4ª Região, atuou por mais de 20 anos como artista, bailarina, professora, avaliadora, coreógrafa, apresentadora, palestrante e pesquisadora. No Movimento Tradicionalista Gaúcho, Alessandra participa desde tenra idade.

Segundo César, ainda existe incerteza quanto à realização de ações presenciais relativas aos Festejos Farroupilhas, porém o simbolismo da data será reverenciado. “Os tradicionalistas estão demonstrando criatividade, inovação e disposição para ações em ambiente online. Encontraremos alternativas”, comenta.

Estiveram representadas na reunião a Secretaria de Estado da Cultura, Movimento Tradicionalista Gaúcho, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Ordem dos Advogados do Brasil, Piquete Fraternidade Gaúcha, Secretaria da Agricultura, Gabinete do Governador, Secretaria da Casa Civil, Secretaria da Comunicação, Secretaria de Turismo e Famurs – Federação dos Municípios do Rio Grande do Sul.
Fonte:
Sandra Veroneze | Pragmatha Business

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Fegadan passa a integrar Calendário Oficial de Eventos do RS


A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, na quarta-feira, 03 de junho, aprovou a inclusão do Fegadan – Festival Gaúcho de Danças, no Calendário Oficial de Eventos do Rio Grande do Sul. A proposição, do deputado Gilberto Capoani (MDB), foi aprovada por unanimidade, com 53 votos favoráveis.

O Fegadan é uma realização do Movimento Tradicionalista Gaúcho e tem tem por finalidade a preservação, valorização e divulgação das danças tradicionais gaúchas, primando pela espontaneidade no bailar, baseando - se nas obras publicadas por João Carlos Paixão Côrtes e Luiz Carlos Barbosa Lessa.

Fonte:
Sandra Veroneze | Pragmatha Business

32ª Fecars acontecerá em março de 2021 em Pelotas


A 32ª edição da Fecars - Festa Campeira do Rio Grande do Sul acontecerá em março de 2021 em Pelotas, na 26ª Região Tradicionalista. A informação é do Conselho Diretor do Movimento Tradicionalista Gaúcho, que se reuniu online na noite de segunda-feira, 01 de junho.

O evento originalmente seria realizado neste ano, em Pelotas, e acabou sendo transferido por conta da pandemia da Covid-19.

A Fecars está em sua 32ª edição e abrange as modalidades de prova de rédeas, tiro de laço, prova de chasque, gineteada e vaca parada. O objetivo do evento é preservar os costumes, as tradições e o folclore do povo gaúcho e valorizar e demonstrar as habilidades campeiras, protegendo o homem rural, em nível local, regional e nacional dentro de uma certa unidade e respeitando as características de cada região.

Fonte:
Sandra Veroneze | Pragmatha Business

terça-feira, 5 de maio de 2020

Prendas do Rio Grande do Sul realizam Ciranda do Agasalho


As prendas do Rio Grande do Sul, estaduais e regionais, estão mobilizadas para tornar o mês de maio especial. Muito embora não aconteça neste ano a Ciranda Estadual de Prendas, por conta da pandemia do Covid-19, outra ação promete aquecer os corações: a Ciranda do Agasalho.

Quem garante é a primeira prenda, Gabriela Sarturi Rigão. Segundo ela, as prendas de todo estado estão se organizando para atuar no recolhimento e distribuição de roupas, em parceria com entidades tradicionalistas, muitas delas integrantes do projeto Tradicionalismo Solidário, do Movimento Tradicionalista Gaúcho.

“Não poderíamos deixar que esse mês, sem a Ciranda em sua fase estadual, ficasse sem a marca das prendas. As prendas representantes das 30 regiões tradicionalistas poderão unir-se neste ideal de solidariedade e humanidade”, afirma Gabriela.

A campanha também honra o primeiro item da Carta de Princípios do MTG, que preconiza auxiliar o Estado na solução dos seus problemas fundamentais e na conquista do bem coletivo, além de representar uma forma de vivenciar, de forma diferente, a Ciranda Estadual de Prendas, por meio da mobilização de tradicionalistas em prol do bem comum.

Fonte:
Sandra Veroneze | Pragmatha Business

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Entrevero de Peões e Ciranda de Prendas são transferidos para 2021


O Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul, em reunião realizada pelo Conselho Diretor, decidiu transferir para 2021 a Ciranda Cultural de Prendas e o Entrevero Cultural de Peões, que estavam previstos para abril, maio e junho.

A informação é da vice-presidente de cultura, Roberta Jacinto (foto). Segundo ela, as prendas e peões que concorreriam neste ano tanto na fase regional como na fase estadual têm o direito adquirido de concorrer em 2021. O Conselho Diretor decidiu também que, não havendo concurso, seguem nos cargos os titulados da atual gestão estadual, uma vez que imprescindível a representação da juventude tradicionalista.

Neste final de semana, juntamente com a presidente do MTG, Gilda Galeazzi, e com a diretora de concursos, Luise Morais, Roberta estava elaborando uma normativa com detalhes de como os concursos acontecerão.

A previsão de publicação do documento é segunda-feira, 27 de abril, quando também será realizada reunião com os coordenadores regionais e diretores regionais de cultura para prestar esclarecimentos e também ouvir as demandas. Para terça-feira, a partir das 20h, também está prevista live, na página oficial do MTG no Facebook, para prestar esclarecimentos.

O Entrevero Cultural de Peões e a Ciranda Estadual de Prendas de 2020, nas fases estadual e regional, foram cancelados a partir da determinação das autoridades para, no combate ao Covid-19, serem suspensas as atividades que gerariam aglomeração de pessoas.

Fonte:
Sandra Veroneze | Pragmatha Business